Estudo Global do Custo de Vida 2019

Estudo Global do Custo de Vida 2019
01 Julho 2019    3166
Num mundo em rápida mudança, os programas de mobilidade tornaram-se uma componente essencial da estratégia global de talento das organizações multinacionais. As organizações compreendem que para prosperar, devem acompanhar a mudança, adaptar-se a novas tecnologias e desenvolver novas competências para atrair, motivar e desenvolver o talento. De acordo com o estudo Global Talent Trends 2019 da Mercer, 65% das empresas, de uma forma transversal a todas indústrias e países, estão a utilizar programas de mobilidade para melhorar as suas estratégias no que se refere à gestão dos seus colaboradores. Para tal, as empresas precisam de avaliar cuidadosamente o custo dos “pacotes de remuneração para expatriados”. O 25º estudo anual “Custo de Vida” da Mercer conclui que um conjunto de fatores, incluindo flutuações cambiais, custo da inflação no que se refere a bens e serviços e a volatilidade dos preços de alojamento, contribuem para o custo geral dos “pacotes de expatriados” para colaboradores em tarefas internacionais.
 
De acordo com o estudo global sobre o Custo de Vida de 2019 da Mercer (Cost of Living Survey), Lisboa desceu duas posições no ranking, passando da 93ª posição em 2018, para o 95º lugar em 2019. Após uma subida expressiva de 44 posições o ano passado, a capital portuguesa encontra-se agora estável no ranking do custo de vida da Mercer.
Através do estudo foi ainda possível concluir que o preço da gasolina em Lisboa é dos mais elevados tendo em conta as restantes cidades do ranking. Por outro lado e comparativamente com a cidade mais cara do ranking, o preço de arrendamento de um apartamento T3 nas zonas nobres de Lisboa ronda os 3.150€ e em Hong Kong os 12.910€.
 
É possível concluir ainda que do top 10 das cidades mais caras para expatriados, 8 são asiáticas, resultado dos elevados custos de bens de consumo para expatriados e a dinâmica do mercado residencial. Tóquio (2), Singapura (3) e Seoul (4) encontram-se no topo da lista, sendo que a cidade mais dispendiosa do mundo, pelo segundo ano consecutivo, é Hong Kong. Outras cidades que se encontram no top 10 são Zurique (5), Shangai (6), Ashgabat (7), Pequim (8), Nova Iorque (9), e Shenzhen (10). As cidades menos caras para expatriados são Tunes (209), Tashkent (208) e Karachi (207).
 
Aqui estão alguns resultados a destacar:
 
• A capital portuguesa cai dois lugares no ranking, comparando com o ano anterior, passando para a 95ª posição
• Hong Kong mantém a posição de cidade mais cara do mundo, em oposição a Tunes, a cidade menos cara do mundo
• Zurique continua a ser a cidade europeia mais cara, encontrando-se no 5º lugar do ranking, caindo duas posições relativamente ao ano passado
• Luanda desce 20 posições no ranking, da 6ª para a 26ª posição
• Do top 10 das cidades mais caras, oito são asiáticas. O top 3 é constituído por Hong Kong (1), Tóquio (2) e Singapura (3), respetivamente
 
Pode saber mais aqui.
Contacte-nos
Preencha o formulário com os seus dados para obter mais informações sobre esta aplicação, e em breve entraremos em contacto.
Vamos começar?
*Campos obrigatórios

Também poderá gostar de...

Welcome to Brighter
27 Janeiro 2020    3573


Conteúdos Mais Visualizados

Conheça os conteúdos mais visualizados

Employee Experience
Event Information: Employee Experience ...
18 Novembro 2019    4185
Aplicação: My feedback
MY FEEDBACK O Feedback é uma ferramenta poderosa e divertida de ...
19 Março 2018    3865
Insight Sales – como desenvolver competências de vendas complexas
Quantas vezes já se pe ...
11 Outubro 2017    3829

Conteúdos Sugeridos

Conheça os conteúdos sugeridos

"problemas tão comuns mas abordagens tão diferentes"
É interessante perceber como as empresas têm "problemas tão comuns mas abordagens tão diferentes ...
28 Fevereiro 2019    3133
Workshop Human Transforma©tion
Workshop Human Transforma©tion   No passado dia 26 de junho, a Mercer ...
28 Junho 2019    3186